• Quarta, 17 de Junho de 2020

O modelo sui generis de Bolsonaro (I)

Irritação com os próprios apoiadores pode ser sinal de recuo

Consta aqui na matéria anterior, o presidente tanto desafiou que pode ter chegado muito próximo daquela linha da qual não teria mais volta. Então, das duas, uma: ou pagava pra ver; ou dava um passo atrás.

Na segunda-feira (15), a impaciência com seus simpatizantes na saída do Alvorada – costume que ele próprio criou – pode denotar a irritação de quem se vê na iminência de dar meia volta.

É só suposição. Mas o governante no regime democrático que sobe o tom de maneira incessante e intimidador, chega o momento que tem que pagar pra ver: ou tenta virar a mesa e implantar o autoritarismo, ou recua ante o risco de dar com os burros n’água.

Tudo é muito especulativo. Mas Bolsonaro pode ter testado os limites, vislumbrado insucesso e resolvido abrandar.

Isso justificaria a irritação com os próprios apoiadores – espécie de frustração consigo mesmo por não colocar em prática os desejos acintosamente claros vistos nas manifestações antidemocráticas das quais participou.