• Quinta, 25 de Junho de 2020

Banco Mundial não quer Weintraub

(Mas ele deve ser nomeado mesmo assim)

imagem
Weintraub (Reprodução)

Chamou os ministros do STF de “vagabundos” e foi premiado: Weintraub deixou o ministério da Educação, onde recebia salário de R$ 31 mil, e ‘ganhou’ indicação para o Banco Mundial, com salário de R$ 115 mil.

Sem perder tempo, embarcou para Washington, viagem que chegou a ser especulada como fuga – o que não tinha nenhum embasamento, visto que não corria risco de prisão.

Agora, funcionários do Banco Mundial pedem que a nomeação do ex-ministro seja suspensa. Contudo, apesar da forte oposição a seu nome, isso só aconteceria se Bolsonaro mudasse de ideia.

Ocorre que votação no Conselho, formado por nove países “acionistas”, é mera formalidade, visto que o Brasil tem mais de 50% do ‘capital votante’ da cadeira.

Assim, apesar de ser mais um profundo arranhão na imagem do Brasil, o Bird vai ter que engolir o tosco Weinbraub.